. Carros da Fórmula E terão carregamento sem fio - Tudo Sobre Tecnologia


Em um futuro que talvez possa soar utópico, motoristas de carros elétricos não precisarão mais parar em postos para recarregar a bateria dos seus veículos como acontece atualmente. Isso porque algumas das principais ruas das cidades poderão estar equipadas com uma espécie de carregador de bateria sem fio.



Um projeto ambicioso nessa área é o Qualcomm Halo, que pode ser visto em ação na Fórmula E, nova categoria de campeonato criada pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA). Em evento realizado recentemente na sede da Qualcomm, em São Paulo, o piloto da Audio Sport ABT Lucas di Grassi e o vice-presidente da empresa na América Latina Rafael Steinhauser deram mais detalhes sobre essa parceria.
O Qualcomm Halo funciona de forma similar aos carregadores por indução magnética que invadiram o mercado de smartphones recentemente e que dispensam o uso de cabos. A recarga por indução, ou wireless, como vem sendo chamada, usa um campo magnético para recarregar baterias. Nesse tipo de carregamento sem fio, bobinas encontradas na base de recarga, ao serem acionadas pelo contato, entram em ação e criam um campo magnético capaz de fornecer energia elétrica ao equipamento.



A tecnologia WEVC (Wireless Electric Vehicle Charging) da Qualcomm também utiliza a indução magnética para transferir energia da base de carregamento para um dispositivo instalado no veículo elétrico. Para que funcione, basta que os motoristas parem sobre essa base para que a recarga comece automaticamente. Em um primeiro momento, apenas os carros de segurança (safety cars) da Fórmula E vêm equipados com essa tecnologia. A partir do segundo ano do campeonato, a solução Qualcomm Halo também poderá ser utilizada para recarregar os carros elétricos da corrida.

Divulgação
Lucas Di Grassi, piloto de Fórmula E

Para Lucas di Grassi, agora piloto de Fórmula E, uma das vantagens dessa tecnologia é que o veículo não precisa estar totalmente alinhado à base para funcionar. Segundo Rafael Steinhauser, da Qualcomm, no futuro, as placas de carregamento poderiam ser colocadas nas principais ruas para que os carros elétricos sejam carregados à medida que circulam pela cidade. Uma solução muito mais sustentável que outros combustíveis como a gasolina, o álcool ou o diesel.
Fórmula E é palco de inovações
A Fórmula E teve início no dia 13 de setembro deste ano em uma corrida realizada em Beijing, na China, vencida por Lucas di Grassi. Com passagem pela Fórmula 3 e Formula 1, Di Grassi diz que a técnica de pilotagem é a mesma de qualquer outra categoria, mas que na Fórmula E o piloto precisa aprender como usar a energia elétrica do carro para obter o melhor resultado. Além de Di Grassi, outros dois brasileiros correm na Fórmula E: Nelsinho Piquet e Bruno Senna.



Na Fórmula E, diferentemente do que acontece na Fórmula 1, onde os carros podem ser mecanicamente diferente dos outros, todos usam o mesmo veículo. O Spark-Renault SRT_01E é o único carro autorizado pela Federation Internationale de l'Automobile (FIA) e foi construído por várias empresas do ramo: Dallara, McLaren Electronics, Williams Advanced Engineering, Hewland, Renault Sport Technologies e Michelin.

0 comentários Goocle+ 0 Facebook

Postar um comentário

 
Tudo Sobre Tecnologia © 2013-2020. Todos os direitos reservados. Tudo Sobre Tecnologia. Desenvolvido por TST
Topo